Esportes

Hudson é apresentado no Fluminense: "Quando teve contato, não tive dúvidas"

O volante Hudson foi apresentado pelo Fluminense nesta sexta-feira (17) no CT Carlos Castilho. O jogador, que chega emprestado pelo São Paulo, afirmou nem ter tido dúvidas quando foi procurado pelo Tricolor no mercado da bola.

"Oportunidade em um grande clube. Participar de um projeto com pessoas sérias. E também poder ajudar o Fluminense. Quando teve o contato, eu não tive dúvidas. Assim que começou (a negociação), torci para o São Paulo tratar de forma tranquila e foi assim que aconteceu. O que está na minha cabeça é o projeto com o Fluminense. Sei a responsabilidade que é vestir essa camisa, sei que a torcida anseia por vitórias e por brigar lá em cima. E é isso que espero fazer aqui no Fluminense."

Ao lado do presidente Mario Bittencourt e do diretor de futebol Paulo Angioni, Hudson citou conversa com o técnico Odair Hellmann antes de fechar com o Flu para 2020. Além disso, lembrou ser um jogador versátil, que atua em várias posições do meio-campo e também na lateral-direita.
"Sou um volante que tenho um desarme e marcação como primeira característica, mas que também chego no ataque. o volante moderno tem que ser assim: fazer muito bem as duas funções, tanto ofensivas, quanto defensivas. Sobre minha posição, sou primeiro ou segundo volante de origem, aí é com o professor Odair. Mas também sei atuar como lateral, se vocês conhecerem minha trajetória, vão saber que já joguei como lateral."

A reedição da parceria vitoriosa com Henrique, com quem atuou no Cruzeiro e foi campeão da Copa do Brasil em 2017 também foi motivo de comentários do novo reforço tricolor, que projetou mais sucesso para a dupla.

"Costumo chamar o Henrique de tio. Ele não é tão velho, mas a gente brinca assim. Fomos muito felizes no Cruzeiro, em 2017. É um cara que agrega não só dentro de campo. Flu acertou em cheio nessa contratação. Espero que a gente seja vitorioso assim como em 2017", disse.

As críticas de parte da torcida sobre as contratações de jogadores experientes foi deixada de lado por Hudson, que acredita ainda estar em evolução no futebol.

"Tenho 31 anos. Acredito que possa melhorar muito ainda. Com a tecnologia, o futebol está evoluindo muito. E acredito com que com essa evolução, pude chegar aqui. É muito bom ter essa mescla de jogadores experientes com a molecada que tem aqui. Xerém é uma fábrica de talentos, uma base muito reveladora. Já trabalhei com o Digão, Nenê, já troquei ideia com Muriel... São jogadores importantíssimos. É a espinha do time. Que a gente possa ajudar, dar suporte aos mais jovens. E assim fazer uma equipe muito boa", opinou.

Por fim, Mario afirmou que o jogador "tem a cara do Fluminense" e projetou até mantê-lo no futuro. Seu contrato de empréstimo se encerra no fim do ano e o vínculo com o São Paulo é até dezembro de 2021.

"Ele foi muito claro que a chegada dele se deu muito pela vontade dele estar aqui. Na 1ª ligação, estava eu e Paulo (Angioni), e ele já falou que se acertasse com o São Paulo, viria para cá. O Paulo (Angioni) fala sempre que tem alguns jogadores que tem a cara do Fluminense. Ele tem essa cara. Tomara que dê tudo. Só nesses primeiros dias de convívio, já deu para ver que acertamos na mosca. Já está incorporado com a nossa filosofia. Estou vendo os treinos, como ele falou é muito pouco tempo. Sete sessões antes da estreia, diria que é desumano. Não à toa, já tivemos algumas baixas com lesão. Mas ele tem treinado muito bem. A torcida tem que ter paciência. Mas como já falei, estamos montando um time muito bom", declarou.