Esportes

Globo estuda exibir outros jogos antigos se reprise do penta der audiência

Muita gente foi pega de surpresa com a decisão da Globo de reprisar a decisão da Copa do Mundo de 2002 no próximo domingo de Páscoa, às 16h, em alternativa para ocupar a grade em tempos de paralisação do futebol na crise do coronavírus. Mas outras partidas podem ser exibidas na mesma faixa, caso a tentativa agrade ao público.

Segundo apurou o UOL Esporte, tudo vai depender do retorno de audiência e repercussão de Brasil 2 x 0 Alemanha. Se for melhor do que a Globo espera, a emissora carioca estuda fixar a faixa para mostrar jogos históricos.

Além de ser uma forma de movimentar o seu departamento de Esporte - ou quem ainda está trabalhando nele -, a exibição das reprises também ajuda a Globo a ter uma pós-entrega interessante para os parceiros do futebol, que serão citados na transmissão especial.

O próprio Galvão Bueno é um defensor nos bastidores da continuidade das reprises. Para alguns chefes, o narrador afirmou que a faixa de jogos clássicos no domingo à tarde seria um alento aos fãs do futebol em meio a tanta notícias ruins. A direção de Esporte da Globo concorda com a narrador.

A Globo raramente reprisa jogos em sua programação, e quando o faz, são mostrados em compactos durante a madrugada. Isso normalmente acontece em jogos da Copa do Mundo enquanto ela é disputada.

Com o avanço da Pandemia do Covid-19, o Grupo Globo tem usado de reprises também em seu canal esportivo. O SporTV tem mostrado jogos clássicos durante o dia inteiro, aproveitado alguns horários também para promover uma votação popular para saber qual jogo merece reprise.

A exibição da final da Copa do Mundo de 2002 será mostrada com narração original de Galvão Bueno, com comentários de Paulo Roberto Falcão, Casagrande e Arnaldo Cezar Coelho. Antes, um pré-jogo de 30 minutos com Cléber Machado e Casagrande vai trazer curiosidades sobre a partida.

Procurada oficialmente pelo UOL Esporte, a Globo apenas confirmou a exibição do jogo do penta no próximo dia 12, dizendo que não existe, ainda, previsão de outras partidas.