Esportes

Final fora de campo | Fla-Flu sem torcida tem gritaria de cartolas e "climão" nos bastidores

O confronto entre Fluminense e Flamengo, pela final da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, não teve torcida, mas contou com a gritaria dos cartolas dos dois times e dúvidas nos bastidores antes de a bola rolar. Em campo, a equipe tricolor venceu nos pênaltis, após empate em 1 a 1, e vai para a decisão do Estadual contra o próprio time comandado por Jorge Jesus.

Por conta dos cuidados devido à pandemia de coronavírus, o clássico não teve a presença de público. Porém, a cada lance mais perigoso e, principalmente, nas faltas mais duras, havia manifestações vindas de um dos setores da arquibancada.

Naquela área estavam dirigentes e membros do departamento de futebol dos respectivos clubes. Assim, houve uma batalha entre Mario Bittencourt, presidente do Flu, e Rodolfo Landim, presidente do Fla, também "no gogó".

"Cadê o cartão vermelho?", questionou o lado do Flu em uma falta de Rafinha.

"Não tem cartão, juiz?", perguntou o lado do Fla após uma entrada em Filipe Luis.

Antes de a bola rolar, porém, o foco estava voltado à briga que as diretorias travaram nos bastidores pela transmissão da partida. Com as seguidas notas oficiais e liminares, até mesmo funcionários dos dois clubes se mostravam em dúvida sobre o que iria acontecer mais adiante.

Durante a montagem das respectivas cabines e preparação de todo o trâmite para o confronto, integrantes das duas TV's oficiais procuravam informações sobre as decisões judiciais e posicionamentos oficiais publicados.

O clima entre os funcionários, porém, era amistoso. Dois membros da FlaTV, ao passarem em frente à cabine da FluTV durante a organização para a final, fizeram elogios aos rivais e receberam os agradecimentos. "Ficou bem bonito, hein! Legal", disseram.

Segundo o UOL Esporte apurou, para a transmissão, o Tricolor fechou parceria com a mesma produtora que já faz trabalhos juntamente à FlaTV e tem experiência em exibições ao vivo pela web. Ainda de acordo com a apuração, um fato que desagradou integrantes da cúpula do clube das Laranjeiras foi, na interpretação deles, o Rubro-Negro ter colocado "dúvidas" sobre a qualidade do trabalho que seria feito pelo Flu na exibição do jogo.

Nenê e Diego discutem, Odair acalma o clima

Em meio à disputa de pênalti, os meias Nenê, do Fluminense, e Diego, do Flamengo, tiveram uma discussão no círculo central. Logo depois de o goleiro Muriel defender a cobrança de Arão, houve uma troca de xingamentos, com direito a dedo em riste.
Após as penalidades, enquanto o elenco tricolor celebrava a conquista da taça, o técnico Odair Hellmann foi até Diego, que estava à beira do gramado com o restante dos companheiros, e conversou com o camisa 10 rubro-negro.