Esportes

Estádio dividido | PSG: Neymar vira as costas para torcida e encara vaias

Estádio dividido | PSG: Neymar vira as costas para torcida e encara vaias

Neymar ainda encara resistência da torcida organizada do Paris Saint-Germain mesmo sendo o destaque do time no Campeonato Francês. Neste sábado, na goleada por 4 a 0 contra o Angers, o camisa 10 ouviu vaias na ala destinada aos Ultras na arquibancada do Parque dos Príncipes e se recusou a celebrar o triunfo com o tradicional agradecimento dos jogadores aos torcedores. A novela da transferência do brasileiro ao Barcelona é o motivo pelo qual alguns fanáticos dos clube o perseguem.

A celebração que Neymar não participou contou com a presença de todos os jogadores. Alguns ainda foram ao local da organizada para atirar a camisa. Já o brasileiro foi direto ao vestiário sem se importar em agradecer nem mesmo a parte do público que o apoiou.

As vaias ao camisa 10 no Parque dos Príncipes são cada vez menores. Quando anunciado entre os titulares, o estádio se divide, com boa parte o aplaudindo. O cenário já é o de mudança clara visto que há um mês, em sua estreia na temporada no triunfo por 1 a 0 diante do Strasbourg, as vaias tomaram conta das arquibancadas.

Neymar tem a reaproximação com a maior parte da torcida graças ao bom rendimento no início da temporada. Ele marcou 4 gols, em 5 jogos do time. O retrospecto é de 4 vitórias e 1 derrota. Já a reconquista dos Ultras ainda depende também de provações fora de campo, com posição constante de amor ao PSG e até um pedido de desculpas pelas declarações de que a goleada de 6 a 1 representando o Barcelona contra o PSG e sua lembrança mais feliz em vestiário.

"Neymar é um dos maiores talentos da sua geração. Mas isso está longe de ser o ponto mais importante para nós hoje. O que a gente reprova é ele ter faltado com respeito com o nosso clube inúmeras vezes e, até mesmo, humilhado o clube", citou a nota oficial da torcida organizada Ultras do PSG divulgada no dia da reestreia do brasileiro pelo clube,.

"Ele precisa de paciência. O Neymar sabe que o torcedor é passional e ficou bastante desgastado por aqui. Mas como quase tudo depende de sucesso em campo, isso nós não temos dúvidas que ele vai conseguir. O Neymar está comprometido com a gente e peço uma segunda chance ao torcedor", disse o meio-campo italiano Marco Verratti recentemente.

Na goleada contra o Angers, Neymar encarou a indiferença por parte dos Ultras a cada toque na bola ou ação de drible que era comemorada com muita vibração pela maior parte dos torcedores. O gol marcado não foi celebrado com a torcida e ao fim do jogo, a reação foi a de ir direto aos vestiários.

Neymar nervoso em campo

Diante do Angers, Neymar anotou seu gol aos 45 minutos do segundo tempo. Até o momento, a atuação também se destacava pelo comportamento nervoso demonstrado em campo. O camisa 10, muito por conta da violência do adversário, reclamava constantemente com o árbitro. No total, foram 6 faltas sofridas, a maior marca da temporada.

Neymar ainda mostrou o nervosismo quando teve assinalada uma falta de ataque em um domínio com o braço dentro da área. Ele levou cartão amarelo por gritar revoltado contra o árbitro. Em seguida, correu em sua direção e pedia em português apontado para o olho: "vai ver o VAR". A ajuda, no entanto, não pode ser utilizada neste tipo de falta de ataque sem nenhuma conclusão ao gol.

Nos outros 3 gols do PSG - marcados por Sarabia, Icardi e Gueye -, Neymar não teve participação direta nem com assistência. O fato chamou a atenção visto que a dependência do time na participação do brasileiro era discutida na França. Quando esteve em campo como titular nos outros 4 jogos disputados, ele fez os 3 gols do time - nas vitórias por 1 a 0 contra Strasbourg, Lyon e Bordeaux -.

"Eu acho que temos mais opções de ataque. Não é um segredo. Ninguém saiu e entraram o Sarabia e o Icardi. Mas é claro que ter o Neymar, assim como Mbappé e Cavani, te ajuda. No fim não chamaria de dependência, eu diria que são jogadores importantes no grupo", destacou o meio-campo espanhol, Ander Herrera, após a goleada contra o Angers.