Esportes

Deiveson testa positivo para Covid e tem presença incerta na Ilha da Luta

Deiveson Figueiredo vive um drama na véspera de sua luta pelo cinturão dos moscas do UFC. No dia em que viajaria para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, o teste de Covid-19 feito por ele em São Paulo deu positivo. A informação foi dada primeiro pelo Combate.com e confirmada pelo UOL Esporte.

A grande questão é que Deiveson já contraiu Covid-19 em maio. Na manhã deste sábado (11), ele passará por um novo teste para saber se foi um "falso positivo". Caso a nova amostra dê negativo, ele estará liberado para viajar para Abu Dhabi e enfrentar Joseph Benavidez na "Ilha da Luta".

Deiveson viajaria hoje (10) para Abu Dhabi. Por causa do problema com o teste de Covid-19, sua expectativa é de conseguir embarcar no domingo (12) rumo aos Emirados Árabes Unidos.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) já analisou alguns casos como o de Deiveson, quando uma pessoa já diagnosticada com o vírus apresenta resultado positivo em um teste feito tempos depois. Na análise feita com pacientes na Coreia do Sul, o órgão indicou que se tratavam de células mortas do pulmão com o material genético já inativo do vírus, o que causava o "falso positivo".

Caso o novo teste dê positivo, Deiverson não poderá enfrentar Benavidez pelo cinturão dos moscas no card do dia 18 de julho. Com isso, Alexandre Pantoja entrará em seu lugar. O também brasileiro está escalado para enfrentar Askar Askarov, mas foi colocado como reserva da disputa pelo título.

O problema com Deiveson é o segundo envolvendo lutas por cinturão na "Ilha da Luta". O também brasileiro Gilbert Durinho foi retirado do combate contra Kamaru Usman, pelo título dos meio-médios, após contrair Covid-19. Em seu lugar, o UFC escalou Jorge Masvidal.