Esportes

Da voadora às cabeçadas: Éric Cantona agora protagoniza seriado da Netflix

Pode soar como injustiça resumir a carreira de alguém a uma agressão, uma reação instintiva, mas o francês Éric Cantona nunca negou que o momento inesquecível de sua carreira como jogador de futebol foi a voadora que deu em um torcedor rival preconceituoso, nos tempos de Manchester United. Agora aposentado, o ex-craque distribui cabeçadas em um seriado da Netflix. Sim, o bad-boy virou ator — e não decepciona.

Cantona é o protagonista de "Recursos Desumanos" (tradução questionável de "Dérapages", deslizamentos, em francês), produção francesa que está disponível no serviço de streaming há cerca de um mês. O comportamento explosivo dos tempos de jogador dialoga muito bem com o inconformismo do personagem: Alain Delambre, um homem desempregado de 57 anos humilhado cotidianamente, que reage de forma furiosa ao perceber que está sendo manipulado mais uma vez.

O seriado é uma adaptação de um romance homônimo, escrito por Pierre Lemaitre. O diretor da obra, o cineasta libanês Ziad Doueiri, explicou em entrevista recente que o personagem de Cantona "está no abismo, na pior das situações do ponto de vida profissional".

A reação se dá às cabeçadas: mais de uma vez, Cantona (na pele de Alain Delambre) vinga-se de seus algozes em pura violência física — mais ou menos como na voadora ao torcedor do Crystal Palace que lhe ofendeu com insultos xenófobos, em 1995. Degradado por um sistema que o descartou sem cerimônias, o personagem tem suas razões para a violência, assim como, há 25 anos, o jogador tinha as dele.

Atuação não é novidade para Cantona

O francês tem um currículo invejável no futebol: são quatro títulos da Premier League com o Manchester United, com direito a lugar no hall da fama do futebol inglês e também no "Fifa 100" (lista em que Pelé incluiu os melhores jogadores que viu jogar, em 2004). Desde a aposentadoria, no entanto, Cantona decidiu apostar na atuação.

Entre filmes e seriados, Cantona já atuou em 30 produções e participou de oito documentários. Ele já apresentou a série documental "Os Rebeldes do Futebol" e representou a si mesmo no filme "À Procura de Éric". Mas nunca atuou tanto com tanto protagonismo quanto em "Recursos Desumanos".

"Ele é muito disciplinado. Eu jamais tive que dar uma instrução sobre como atuar. Ele se deixa guiar pelos instintos, e tudo sai muito, muito natural", elogia o diretor, Ziad Doueiri, que não é muito chegado a futebol e nem sabia quem era Cantona antes da produção do filme.

Os esportistas que viram atores

Vinnie Jones e Jason Statham - Dave M. Benett/WireImage - Dave M. Benett/WireImage
Imagem: Dave M. Benett/WireImage
A experiência de Éric Cantona com as telas é comparável com a de Vinnie Jones, ex-volante do Chelsea e capitão da seleção galesa, que hoje já passou dos 25 filmes no currículo -- alguns dos mais famosos ao lado do ator Jason Statham, que por sua vez já fez parte da seleção britânica de saltos ornamentais.

Entre os jogadores de futebol, a relação com a atuação não é novidade: Pelé já filmou com Sylvester Stallone e com Os Trapalhões; Neymar apareceu ao lado de Vin Diesel; e David Beckham contracenou com Jude Law em "Rei Arthur: a lenda da espada".

No esporte em geral a lista é ainda maior: Michael Jordan e Shaquille O'Neal já fizeram filmes, por exemplo. Ex-campeã do UFC, Ronda Rousey esteve em "Velozes e Furiosos 7"; e o controverso OJ Simpson atuou em comédias como "Corra que a Polícia Vem Aí".