Esportes

Copa do Mundo Feminina de 2023: Brasil quer ser sede e receberá Fifa dia 3

A Fifa anunciou hoje que vai começar o processo de inspeção nos países que se inscreveram para sediar a Copa do Mundo Feminina de 2023.

O Brasil, além da Colômbia, Japão e da junção Austrália-Nova Zelândia, é um dos postulantes a receber os jogos do torneio. O vencedor será anunciado em junho deste ano.

Tanto a sede da CBF quanto "locais específicos" não divulgados pela entidade serão alvo de visitas de membros da Fifa. A inspeção chega ao país no dia 3 de fevereiro e percorrerá os estabelecimentos escolhidos até o dia 6.

Antes, no entanto, a Fifa vai às instalações da Colômbia (29 de janeiro até 1 de fevereiro). Austrália-Nova Zelândia (17 a 22 de fevereiro) e Japão (24 a 27 de fevereiro) encerram o itinerário da entidade.

As visitas, segundo a Fifa, fazem parte do processo de avaliação para a escolha da sede da próxima Copa feminina. O objetivo é "avaliar certos aspectos técnicos contidos nos livros de licitações e discutir os planos gerais para o desenvolvimento do futebol feminino nos respectivos países".

No mesmo comunicado, a Fifa informou ainda que vai investir US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4,17 bilhões) no futebol feminino até 2022.