Esportes

Calçade vê Cuca como apagador de incêndio no Santos: 'Emergência'

O comentarista Paulo Calçade acredita que Cuca chega ao Santos ciente de seu papel como uma espécie de bombeiro. O treinador, que vai para sua terceira passagem pela equipe alvinegra, chega em meio a problemas financeiros e administrativos no clube.

Na opinião do comentarista dos canais ESPN, a situação é prejudicial tanto para o técnico quanto para o clube, já que o cenário não é favorável para a implantação de ideias de jogo ou paciência. Calçade acredita que esta é mais uma situação de emergência no futebol brasileiro.

"O Cuca chega com o extintor na mão, para apagar o fogo, conhecendo o que tem que fazer, o nível da emergência que vai atender. Ele sabe que falta dinheiro, que vai faltar jogador, mas disse que vai ser bom pra ele também. É uma chance de voltar a treinar um time da Série A e ele vai abraçar todos os problemas por essa oportunidade. Ideias, evolução, um jogo com mais conteúdo, pensamento - o que o futebol brasileiro precisa - não vamos ter. É mais uma emergência", disse Calçade em participação no Futebol na Veia, da ESPN Brasil, hoje.

Uma vantagem para Cuca na opinião de Paulo Calçade é que, ao menos, o treinador não terá surpresas negativas - como seus antecessores, uma vez que já conhece os conturbados bastidores do clube.

"O Cuca já conviveu com esse ambiente antes e já criticou abertamente em entrevistas coletivas. Ele deixava clara sua insatisfação com a direção. Desde sua última passagem, o Santos piorou a gestão, na minha opinião. Então, imagina como vai ser o dia a dia do Cuca. Ele volta e sabe exatamente o que vai encontrar. Não vai poder dizer que ficou surpreso", completou.