Esportes

Borrussia goleia e deixa sensação de que mundo não parou para o time

A volta da Bundesliga teve gol de Haaland e goleada do Borussia Dortmund por 4 a 0 no clássico contra o Schalke. De certa forma, foi como se o mundo não tivesse parado nos últimos meses.

É claro que o ambiente não era o mesmo. Estádio vazio e inúmeras preocupações com o necessário protocolo adotado. Mas se uma das interrogações era com o impacto da falta de ritmo, o Borussia passou no primeiro teste.

O completo domínio sobre um desorganizado Schalke teve diferentes méritos. A capacidade para pressionar gerou erros, como na origem do segundo gol. E a qualidade para trabalhar a bola também colocou em evidência o quinteto ofensivo.

Em uma estrutura já conhecida, no 3-4-2-1 de Lucien Favre, os alas se conectam com os meias avançados e assumem peso relevante no ataque. Achraf Hakimi incomodou pela direita, enquanto Raphael Guerreiro, pela esquerda, saiu com dois gols marcados.

Julian Brandt foi o centro de todas as ações. Como organizador que busca os espaços nas costas dos volantes e acelera no espaço vazio para quem se projeta, participou dos quatro gols.

Thorgan Hazard e Erling Haaland completaram a tranquila vitória. O jovem norueguês mais uma vez foi personagem. Como no início do ano, precisou de poucos minutos para deixar sua marca.

Haaland é uma máquina de gols e seus movimentos se encaixam perfeitamente na forma do Borussia Dortmund atacar a área. A velocidade faz com que muitos lances pareçam iguais.

O já tradicional cruzamento, muitas vezes rasteiro, para quem chega em velocidade, de frente para o gol. E a explosão de Haaland faz com que ele frequentemente chegue antes do zagueiro. O tamanho engana e ofusca tal característica. Mas as estatísticas comprovam a eficácia.

Não foi um dia normal. O futebol voltou em uma das grandes ligas europeias. O clima não era o mesmo - e nem poderia, em um ambiente tão diferente. Mas as virtudes do Borussia Dortmund foram as já conhecidas.