Esportes

Band planeja quitar dívida com Globo em setembro e voltar a mostrar futebol

A Band avisou a Globo no início desta semana que pretende quitar em setembro, se tudo correr como o planejado, a dívida que a emissora paulista tem com o canal carioca referente a direitos de transmissão licenciados entre 2014 e 2016. A dívida é o maior impedimento para a emissora voltar a mostrar futebol brasileiro.

Segundo apurou o UOL Esporte, a última parcela que será paga é de cerca de R$ 10 milhões. A Band conta com alguns planejamentos financeiros que devem entrar no caixa da emissora nos próximos meses e também prevê aumento de publicidade, já que existe uma movimentação do mercado para reforçar os investimentos em anúncios no último quadrimestre do ano.

A Band iria pagar essa última parcela em abril, mas a pandemia do novo coronavírus fez a emissora pedir adiamento à Globo. Por conta da situação excepcional, a emissora carioca atendeu — até porque ela também sofre com os eventos do Covid-19, tanto que reduziu pagamentos aos clubes do Brasileirão e entrou na Justiça para renegociar o contrato de direitos que possui com a Fifa.

As parcelas da dívida estavam sendo pagas desde o fim do primeiro semestre de 2019. O valor total, levantado pela reportagem, foi de cerca de R$ 135 milhões e é referente a repasses do Campeonato Brasileiro, da Copa do Brasil e de campeonatos estaduais.

A Band parou de fazer os pagamentos, e consequentemente de mostrar o futebol nacional, em 2016, com exceção de algumas partidas de torneios amistosos, como a Flórida Cup.

A Globo exigiu algumas condições para fechar o acordo: o principal deles, que só voltaria a negociar com a Band após o pagamento integral da dívida. Esse, inclusive, foi um dos motivos pelos quais a Globo não liberou a exibição da Série B do Campeonato Brasileiro neste ano, mesmo com interesse da Band.

O pagamento total é visto como questão de honra na emissora paulista, pensando em passos futuros. O canal quer voltar a transmitir futebol nacional a médio prazo — de olho no aumento de faturamento e de audiência.

Vale ressaltar que, apesar da dívida, as duas emissoras ainda têm uma boa relação e o acordo só impede negócios para torneios nacionais. A dupla possui, por exemplo, um contrato de licenciamento para torneios de base da Fifa no atual ciclo, que contemplou também a Copa do Mundo Feminina, realizada no ano passado.

Na Globo, também existe uma boa expectativa para o pagamento. A emissora carioca sempre deixou claro que queria uma parceira para dividir transmissões em TV aberta, principalmente do Campeonato Brasileiro, em que desembolsa um alto valor. O licenciamento é uma forma de desafogo financeiro.