Esportes

Após Bragantino, clube dinamarquês pode ser mais um a virar Red Bull

Nove meses após o anúncio da parceria entre Red Bull e Bragantino, pode ser a vez do Brondby IF, da Dinamarca, virar parte do império futebolístico da empresa de energéticos. Segundo a imprensa do país, o milionário Dietrich Mateschitz visitou o clube durante o último final de semana para avaliar as possibilidades de investimento.

A notícia caiu como uma bomba no futebol dinamarquês. Uma torcida organizada do Brondby já se posicionou contra a possibilidade e divulgou manifesto criticando qualquer tratativa com a Red Bull.

"Nosso clube não pode ser esmagado e destruído por um bando de ricos estrangeiros que farão do Brondby um projeto de negócios sem alma", diz o trecho mais duro do comunicado da Brondby Sydsiden, que apela ao Conselho de Administração do clube para que interrompa qualquer conversa com a marca de energéticos.

"A Red Bull representa tudo o que detestamos e lutamos todos os dias para que não aconteça com o nosso amado clube. Se a Red Bull entrar no Brondby, não poderemos mais nos identificar com o clube", afirma a torcida organizada.

Ainda de acordo com jornais dinamarqueses, a Red Bull não é a única interessada em investir no Brondby, que nos últimos dias também teria recebido uma comitiva de empresários russos.

Fundado em 1964, o Brondby já foi campeão nacional dez vezes e soma mais sete títulos da Copa do país. O último título foi justamente no mata-mata, na temporada 2017-18, a mesma em que foi vice-campeão do Campeonato Dinamarquês.

Atualmente a Red Bull administra cinco clubes de futebol: Salzburg, da Áustria; Leipzig, da Alemanha; New York RB, dos EUA; e os brasileiros RB Brasil e Red Bull Bragantino. Os dois representantes europeus são líderes de seus campeonatos nacionais.