Esportes

Após 21 anos, Odair e Flu reencontram Moto Club em novo 'jogo da vida'

Classificação e Jogos

O ano era 1999 e o Fluminense vivia o fundo do poço de sua história. Na Série C do Campeonato Brasileiro, o clube das Laranjeiras, aos trancos e barrancos, tentava se reerguer. Agora técnico, Odair Hellmann participou dos duelos de vida ou morte para o Tricolor. E em 2020, passados 21 anos, o treinador e seu time fazem hoje (26), no mesmo Castelão, às 21h30, pela primeira fase da Copa do Brasil, novo jogo pela sobrevivência de ambos.

Na segunda fase da Terceirona daquele ano, o Flu enfrentou o Moto Club em um confronto de melhor de três. Na ida, no Castelão, o Tricolor arrancou empate em jogo marcado por briga generalizada e, após duas vitórias, se classificou na caminhada do título da competição.

Pressionado pelas eliminações na Taça Guanabara e na Copa Sul-Americana, Odair sabe que precisa afastar a zebra e voltar à boa fase para permanecer no cargo. Ainda não há indício ou pensamento de demissão, mas uma nova queda precoce no mata-mata nacional certamente fará o treinador balançar.

Relacionadas

Números apontam Nino e Digão como zaga "ideal" do Flu apesar de críticas

Nino ressalta importância da Copa do Brasil para o Flu: "Final para nós"

Odair tenta corrigir 'problema crônico' de velocidade com mexidas no Flu

Além disso, o Fluminense também terá o 2020 completamente comprometido caso não avance na competição, já que, ainda em fevereiro, teria apenas, depois do Estadual, o Campeonato Brasileiro para disputar no restante da temporada. Desastre esportivo e para os combalidos cofres tricolores, que precisam do fôlego das premiações do torneio, que distribui, só nesta fase, R$ 1,1 milhão. O campeão pode alcançar R$ 74,8 milhões.

Para o duelo desta noite, também por isso, o treinador promoveu mudanças na equipe. Titular em 2019 e da seleção sub-23 que se classificou para Tóquio-2020 no Pré-Olímpico, o zagueiro Nino volta à defesa. No ataque, o peruano Fernando Pacheco, de 20 anos, impressionou no Fla-Flu e ganhou a vaga de Marcos Paulo, considerado uma joia em Xerém.

Odair ainda fez mais testes no meio de campo, mas a princípio, não modificará a criticada estrutura com dois volantes de contenção. Yuri e Henrique começam jogando, com Hudson, Dodi e Yago como opções. Nenê será o meia da equipe, e Ganso permanece no banco de reservas. O Fluminense irá a campo com Muriel, Gilberto, Nino, Digão e Egídio; Yuri, Henrique e Nenê; Fernando Pacheco, Wellington Silva e Evanílson.

Com o novo regulamento da Copa do Brasil, na primeira fase, o time visitante joga pelo empate. Por isso, o Tricolor só precisa evitar uma derrota para se classificar. Uma vitória, entretanto, se faz necessária para modificar o ânimo da equipe e dar gás a Odair Hellmann, ambos abatidos pelas recentes eliminações. O jogo é uma decisão para o Flu.

"A Copa do Brasil já era de muita importância pelo grande campeonato que é. Essa eliminação precoce na Sul-Americana deixa todo mundo triste e um pouco decepcionado, mas nosso papel é virar a chave. Sabemos que tem muita coisa para acontecer durante o ano e temos condições de transformar esse início de ano ruim em um ano espetacular. Vamos com foco total na Copa do Brasil. Já é uma final para nós e está todo mundo concentrado para fazer um grande resultado lá", declarou Nino, em coletiva na segunda-feira.

FICHA TÉCNICA:
MOTO CLUB x FLUMINENSE

Data e horário: 26 de fevereiro de 2020 (quarta-feira), às 21h30
Local: estádio Castelão, em São Luís (MA)
Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Assistentes: Ricardo Junio de Souza (MG) e Fernanda Gomes Antunes (MG)

MOTO CLUB: Saulo; Geovane, Douglas, Wallace e Jeff Silva; Amaral e Naílson; Anselmo, Silvio e Luan (Doda); George. Técnico: Dejair Ferreira

FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Egídio; Henrique, Yuri e Nenê; Wellington Silva, Fernando Pacheco e Evanilson. Técnico: Odair Hellmann