Esportes

Ameaça cobrava R$ 1 mi | São Paulo aciona polícia por chantagem virtual a Leco e Raí

Ameaça cobrava R$ 1 mi | São Paulo aciona polícia por chantagem virtual a Leco e Raí

O clima nos bastidores do Morumbi continua quente. Nos últimos dias, os integrantes do Conselho Deliberativo do São Paulo receberam um e-mail em que era exigido o pagamento de R$ 1 milhão para evitar que supostos documentos comprometedores fossem revelados. A mensagem fora assinada pelo pseudônimo Edward Lorenz - norte-americano famoso por ter criado a "Teoria do Caos" e morto em 2008.

O clube, porém, enviou uma mensagem ontem para os conselheiros informando que o caso será investigado pela polícia. O Tricolor paulista já havia instaurado inquérito policial para averiguar uma outra chantagem virtual em 2017.

Os e-mails enviados para um mailing (que continha também o executivo de futebol Raí e alguns são-paulinos famosos, como Roberto Justos) faziam ameaças também para o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Anexados estavam documentos de quando o clube era presidido por Carlos Miguel Aidar - entre 2014 e 2015.

Em 2017, o São Paulo acionou um advogado especialista na área para também acompanhar o desenrolar da investigação, que segue em curso. Pouco depois da mensagem do clube ser enviada para conselheiros ontem à noite, o chantagista respondeu prometendo divulgar documentos que comprometeriam também Leco.

Neste ano, o advogado Renato Opice Blum, especialista em direito eletrônico, ministrou uma palestra para atletas e comissão técnica sobre riscos no mundo digital.

Confira o e-mail mandado pelo São Paulo aos conselheiros:

Prezados (as) Conselheiros (as),

Diante dos e-mails encaminhados nos dias 20 e 21 de novembro de 2019, às 19:34, 19:39 e 08:50, respectivamente, pela pessoa que assina pelo pseudônimo de Edward Lorenz, que supostamente estaria em posse de arquivos e informações confidenciais do Clube, o São Paulo Futebol Clube informa que já deu o devido tratamento jurídico e técnico à questão.

Trata-se de nova tentativa infrutífera de fraude e extorsão. Os e-mails e os respectivos documentos apenas reiteram inveracidades e ameaças anteriormente feitas. O caso já é objeto de investigação pela Polícia Civil do Estado de São Paulo, especificamente junto à 4ª DIG - Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos, no Inquérito Policial.

O São Paulo Futebol Clube reitera a importância de que e-mails com conteúdo dessa natureza (criminosa) não sejam compartilhados ou divulgados por qualquer meio, uma vez que a divulgação indevida, pode atrapalhar a investigação policial em curso, e sujeitar o responsável - de eventual divulgação dos e-mails com conteúdo criminoso - à possíveis sanções legais, éticas e disciplinares.

Por fim, o Clube solicita que e-mails ou conteúdos dessa natureza ou similar sejam imediatamente encaminhados à Diretoria Jurídica para devido encaminhamento às autoridades competentes.

Atenciosamente, Diretoria