Entretenimento

Sandy e Júnior estreiam série documental: "Tivemos que amadurecer, absorver tudo que nos trouxe até aqui para poder contar nossa história"

Sandy e Júnior estreiam série documental:

Milhares de fãs de Sandy e Júnior aguardavam esta sexta-feira (10) com muita ansiedade. Após ter disponibilizado a novela Estrela Guia (de 2001), no último dia 6, o Globoplay acaba de liberar a série documental Sandy e Junior: A História. Dividida em sete episódios, a produção se propõe a contar a história de um dos maiores fenômenos da música pop brasileira a partir da narrativa de seus protagonistas. Além dos irmãos, seus pais, familiares, parceiros de trabalho e colegas de profissão participam com depoimentos a respeito dos seus 30 anos de carreira.

A ideia de realizar esse registro documental nasceu em 2018, um ano antes do início da turnê comemorativa Nossa História. Mas o ponto de partida material foi o vasto acervo caseiro da dupla, mais de 250 DVDs que foram compartilhados pela mãe, Noely, com gravações dos cantores em casa e em programas de TV. Imagens da infância dos cantores, quando começaram a aparecer em programas de televisão, em 1989, da adolescência, momentos em famílias, bastidores de turnês e gravações.

Tudo está aí e muito mais. Uma série pensada para os fãs, como bem ressaltou Sandy durante a coletiva de imprensa realizada virtualmente nesta quinta (9). O primeiro episódio será exibido na TV Globo no próximo domingo (12), no Pré-estreia Globoplay.

Produzir um documentário em formato de série foi totalmente novo para os dois, mas ambos afirmaram que já gostavam de assistir esse tipo de produção. “O último documentário sobre uma artista que vi foi o de Nina Simone, muito emocionante e forte. Gosto da linguagem do documentário, da série documental, é sempre muito informativo”, pontua Sandy. “Sempre falavam para mim ‘por que não fazer um filme de sua vida?”, lembrou Júnior, “mas eu fiquei muito feliz de termos feito assim agora, com imagens reais. Espero que acrescente ao público, que gostem e também fiquem feliz com o resultado.”

Os momentos considerados mais polêmicos de suas carreiras também não foram poupados. Considerando que eles iniciaram a carreira artística muito novos – com 6 e 7 anos, respectivamente – e cresceram sob holofotes, não foram poucas as dificuldades relacionadas à uma exposição midiática excessiva e a responsabilidade de serem modelos para tantos jovens.

“Entendemos o lugar que nossa carreira tem para muitas pessoas, nossos fãs cresceram com a gente e tiveram a infância e adolescência, que são fases super importantes, marcadas por nossas músicas. E tem também um novo público, formado em parte pelos filhos de quem nos acompanhou na época, que é algo muito especial e emblemático para nós”, destacou a cantora. Para poder assumir os riscos emocionais e as possíveis repercussões que se dedicar a tal projeto exigiria, Sandy e Júnior convidaram Douglas Aguilar para dirigir os episódios. Além de amigo pessoal, ele trabalha há anos com a dupla o que, para eles, foi o que fez com que aceitassem essa empreitada.

“É mágico e muito emocionante poder reviver 30 anos das nossas vidas assim e poder contar nossa história a partir das nossas perspectivas, de como tudo que vivemos rebateu na gente”, explicou Sandy na coletiva. Para Júnior, a vida profissional e pessoal dos dois sempre foi contada por um viés externo, muitas vezes apresentando distorções, e agora tiveram a chance de reviver o passado com a profundidade da idade presente. “Não estamos mais vivendo aquilo, passou. Tivemos que amadurecer, absorver tudo que nos trouxe até aqui para poder contar nossa história. O momento é agora que temos o distanciamento necessário. Acaba até sendo uma terapia aberta quase”, pontuou o cantor e instrumentista.

Além da imagens de acervo e da recente turnê, Sandy e Junior: A História também apresenta um material audiovisual inédito e muitas imagens de making off do último show da dupla, em 2007, quando anunciaram a separação. Sobre haver ou não uma possibilidade de voltarem a produzir e gravar como dupla, ambos foram categóricos: “acho muito difícil que aconteça novamente. Foi muito importante e muito emocionante, mas não conseguimos focar em nossos outros projetos, nossas carreiras solos.”

Quarentena e projetos futuros Em relação ao delicado e conturbado momento de pandemia, a dupla reitera que é preciso, mais do que nunca, investir em solidariedade e projetos sociais. “É hora de ainda mais valorizar as relações humanas, quem a gente ama e está perto da gente e também movimentos solidários. Mas isso tudo também que ser mantido e levado para frente, a questão do coletivo”, pontua Sandy. E Júnior complementa: “sempre que a gente se depara com a fragilidade da nossa própria vida, como é o caso de um vírus como esse, passamos a refletir mais e perceber como nossas escolhas refletem no outro.”

A dupla realizou uma live no YouTube em abril, uma apresentação acústica que somou mais de 2,6 milhões de acessos simultâneos. Sobre projetos futuros, ambos afirmaram que irão continuar focando em seus projetos solos de gravações de discos e turnês assim que for possível e seguro. Sandy ainda afirmou que é muito convidada para integrar uma peça de teatro musical e que gostaria muito um dia de poder aceitar. “Mas demanda uma dedicação completa e uma agenda de muitas apresentações, de quinta a domingo. Por isso nunca topei, mas sempre tive vontade.”