Entretenimento

'SABENDO DE TUDO': Mesmo preso, Lula já sabia dos vazamentos de Greenwald antes da publicação pelo Intercept

'SABENDO DE TUDO': Mesmo preso, Lula já sabia dos vazamentos de Greenwald antes da publicação pelo Intercept

Na esteira da entrevista concedida por Lula a Mônica Bergamo e Florestam Fernandes, o jornalista Glenn Greenwald do Intercept Brasil esteve no dia 21 de maio na sede da Polícia Federal em Curitiba conversando com o ex-presidente. Ele visitou Lula na cadeia, nove dias depois de receber as mensagens roubadas da Lava Jato, intermediadas pela candidata a vice na chama de Haddad, Manuela D’ávila.

O encontro reservado em si não teria grande importância se na época Gleen já não tivesse conhecimento das mensagens roubadas do ministro Sérgio Moro e Daltan Dalanhol, agora revelado pelos hackers que estão presos.  Em determinado momento da entrevista o próprio lula fala sobre isso e Greenwald rebate: “Já estamos vendo isso”. Este trecho se torna revelador.

Na época não se deu atenção para isso, mas hoje tudo fecha como um quebra cabeça. Sim, Lula já sabia dos vazamentos vindouros pelo site The Intercept, que foi criado com o conceito do seu próprio nome que significa aquele receptor de material roubado. A informação de que Lula já sabia dos vazamentos foi confirmada a este jornal por pessoas ligadas aos advogados do PT e  UFPR no Paraná que se gabavam que o fim da Lava Jato estava próximo. Um engano. O tiro saiu pela culatra. Greenwald também não faz questão de guardar segredo da amizade com Lula e da sua ligação com a esquerda não epenas no Brasil, mas no mundo.

O que teria Gleen contado a Lula?

O segredo, restrito a quatro paredes, também passaria despercebido se desta vez o jornalista tivesse o mesmo tratamento dos visitantes anteriores.

Como já é sabido, pessoas que visitam Lula sempre são conduzidos por advogados indicados pela ex-presidente e após os encontros são convidados para almoço ou jantares, para relatos das conversas. Com Gleen, tudo foi diferente. Após reunião com Lula o jornalista procurou total isolamento e dispensou inclusive a recepção dos advogados, seguindo direto para o Rio de Janeiro.

A Polícia Federal já identificou essa mudança de comportamento na visita de Glenn Greenvald e agora busca novas informações. Ao que tudo indica e pessoas ligadas às investigações já possuem elementos robustos para fechar a equação sobre esse episódio, quer pode ser a chave da cadeia para Greenwald.

A Polícia Federal já identificou uma organização criminosa envolvendo os hackers que roubaram as mensagens de Moro e da Lava Jato. Já se tornou público o principal objetivo do Intercept, quando Leandro Demori, editor executivo do site deixa claro dizendo que o principal objetivo da reportagem é não deixar Lula comendo quentinha na cadeia.  Agora resta saber qual a posição que eles ocupam neste tabuleiro de xadrez, que está próximo do xeque-mate.

Fonte: Com informações do Agora Paraná

Créditos: Com informações do Agora Paraná