Entretenimento

Resorts de nudismo se adaptam à pandemia e pedem uso de um item: máscaras

Resorts de nudismo se adaptam à pandemia e pedem uso de um item: máscaras

Empire Haven, um resort para férias rústicas situado nas férteis colinas da região de Finger Lakes, no Estado de Nova York, tem um slogan sedutor: “Afaste-se de tudo. Suas preocupações. Suas angústias. Até de suas roupas”.

Neste ano, porém, o resort nudista está pedindo aos visitantes que levem uma peça de vestuário: uma máscara. A gerente do resort, Megan Robinson, admite: “É um pouco estranho quando o rosto é a única parte do corpo que tem de ficar coberta”.

Neste verão, muitos resorts nos quais roupas são opcionais divulgaram que máscaras são obrigatórias. A novidade vem provocando algumas reflexões em lugares que vão de Jacumba, na Califórnia, ao Cypress Cove Nudist Resort, em Kissimmee, na Flórida.

Em um post recente no Twitter, a direção do Cypress Cove especulou: “Se você está usando máscara facial, será que está nu de fato?”.

O resort de mais de 120 hectares, que inclui um enclave residencial, está exigindo o uso de máscara na maioria de suas áreas públicas. A nudista e secretária escolar aposentada Mary Alice Green, que vive no local o ano todo, admite que não está sendo fácil se acostumar a cobrir o rosto.

“O estranho é isso —é estar vestindo alguma coisa”, explicou. “Porque gostamos de andar sem nada.”

Mas as máscaras não são a única novidade nos resorts de nudistas. Como outras empresas que se esforçam para continuar operando durante a pandemia de coronavírus, todos esses lugares vêm sendo obrigados a adotar várias medidas para continuar abertos.

O Solair Recreation League, resort e camping que funciona há 86 anos e ocupa uma área arborizada de 145 hectares no nordeste do Connecticut, enxugou seu calendário de atividades sociais.

A “Parada Vermelha, Branca e Nua” de carrinhos de golfe decorados ainda está prevista para acontecer no fim de semana de 4 de julho, mas um evento de tiro ao alvo competitivo nudista teve que ser cancelado porque os participantes ficariam muito próximos uns dos outros.

A prática do “shuffleboard” nudista ainda é permitida, mas um monitor higieniza os discos entre um lançamento e outro. E o Naked Turtle Cafe só está servindo comida para delivery.

A regra adotada no Solair, de que os hóspedes devem usar máscara em locais públicos onde não podem praticar distanciamento social, vem causando alguma irritação.

Um problema mencionado por frequentadores é a parte do rosto que fica mais pálida, por não tomar sol. “O fato de termos o corpo inteiro bronzeado por igual é uma das coisas das quais nos orgulhamos”, explica Ronna Krozt, professora aposentada de enfermagem e frequentadora regular do Solair.

O DeAnza Springs Resort fica no leste do condado de San Diego, na Califórnia, e se descreve como o maior resort na América do Norte em que o uso de roupas é opcional.

Em abril, o resort retomou algumas atividades limitadas a grupos pequenos, tendo inicialmente transferido as noites de karaoke nudista para o ar livre. “Fazia um pouco de frio”, diz o diretor de marketing Gary Holden.

O DeAnza abriu mais plenamente em meados de junho, com regras exigindo o distanciamento social e o uso de máscara. Enquanto tomava um martini, Dave Landman, o proprietário, criou um novo anúncio com a proposta de fazer o uso de máscara parecer maneiro.

O anúncio traz uma modelo supostamente nua –a foto é editada estrategicamente— usando máscara cor de rosa estampada com a frase: “A única diferença de bronzeado que você verá aqui”.

Mesmo assim, a máscara é um acessório nitidamente irritante para quem está andando como veio ao mundo. “É estranho, é realmente bizarro”, disse Landman. “De repente temos pessoas de máscara. É a última coisa que se poderia esperar.”

Kayla Driscoll, funcionária da recepção do Sunny Rest Resort, um “resort descontraído e livre de roupas” nos montes Poconos, na Pensilvânia, diverte-se ao ver os visitantes sem roupa alguma, exceto por uma máscara.

“É engraçadíssimo”, comenta. “As pessoas são obrigadas a levar a máscara na mão, sendo que não estão carregando mais nada.”

Na Flórida, Mary Alice Green, do Cypress Cove Resort, comenta que nunca se sentiu bem se saísse de casa sem usar uma bijuteria. “Se eu não estiver usando brincos, me sinto pelada, apesar de estar pelada.”

Agora ela está tendo a mesma sensação com a máscara. Ela tem quatro máscaras, uma das quais de tecido, com um estampado decorativo de cálices de vinho.

“Foi uma senhora aqui do parque quem fez”, conta. “A gente se adaptou. Curtimos o estilo de vida nudista, mas estamos sendo cautelosos, tentando ficar em segurança.”