Entretenimento

'PODE CHEGAR A R$2 BILHÕES': Senador diz que patoense do Detran SP foi o primeiro "bandido" a cair após MP detectar fraude

'PODE CHEGAR A R$2 BILHÕES': Senador diz que patoense do Detran SP foi o primeiro

O senador João Kajuru (GO) disse em vídeo nessa quarta (14) que o primeiro “bandido” de um esquema criminoso, que pode ter arrendado de R$500 milhões a R$2 bilhões, caiu. Kajuru refere-se ao patoense Maurício Alves, agora ex diretor setorial de veículos do Detran de São Paulo.

No vídeo, o senador diz que o suposto esquema é o maior crime no mercado de financiamento de carros e que entregou todos os documentos comprobatórios ao presidente Jair Bolsonaro: “Ele ficou estarrecido com os documentos que apresentei. Comprova sem dúvida um monopólio de inicialmente de R$500 milhões, que pode chegar a R$2 bilhões, um conluio que envolve a TecnoBank, B3 e Detran São Paulo. Pode chegar em outros Detrans, inclusive Rio de Janeiro”.

A participação de Maurício dentro do Detran facilitaria o suposto esquema liderado pelo secretário de Transportes, Alexandre Baldy, que já foi alvo de uma série de acusações de Jorge Kajuru em maio desse ano.

O OUTRO LADO

O patoense Maurício Alves falou com a redação do Polêmica Paraíba ainda na quarta (14) e negou participação no suposto esquema fraudulento, além de negar a sua exoneração.

De acordo com o Diário Oficial do Estado de São Paulo, a exoneração do diretor setorial do Dentran SP foi assinada na terça (13). Sobre a exoneração, Maurício novamente foi contactado pela redação do Polêmica e informou que “é para que me possa defender melhor”. Ele ainda informou que entrou com uma queixa crime contra o site que primeiro publicou sobre as acusações e que é “difícil demais lutar contra quem tem o poder financeiro”.

Fonte: Polêmica Paraíba

Créditos: Polêmica Paraíba