Entretenimento

Mais da noite em SP | Rosas de Ouro conta como tecnologia moldou o mundo em desfile '4.0'

Mais da noite em SP | Rosas de Ouro conta como tecnologia moldou o mundo em desfile '4.0'

Heptacampeã do Grupo Especial, a Rosas de Ouro foi um dos destaques do Carnaval paulistano de 2019, quando superou favoritas e terminou numa honrosa terceira posição. Para fazer ainda melhor este ano, a escola apresentou o samba-enredo "Tempos Modernos", sobre tecnologia e a chamada quarta revolução industrial, e o resultado foi convincente.

Última agremiação a desfilar na manhã de hoje, a agremiação conduzida pelo carnavalesco André Machado mostrou inovações, incluindo formas inéditas de acompanhar a evolução e o batimento cardíaco de integrantes, e contou com fantasias e alegorias pensadas para refletir a luz do dia.

Com parcerias firmadas como USP, Insper, FEI e Instituto Mauá de tecnologia, a apresentação agitou quem decidiu ficar até o fim da festa nas arquibancadas, mas nem tudo correu tão perfeitamente.

Intérprete da Marvel

O mundo geek também dá samba. Royce do Cavaco, um dos intérpretes da escola, cantou o samba-enredo vestido de Homem de Ferro, usando luva e lanterna. Segundo ele, tratou-se de mais uma ode à tecnologia, que já salvou a vida do personagem e serviu de mote para o desfile.

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

Mais cultura pop

Uma das alegorias da Rosas lembrou a animação dos Jetsons, que marcou mais uma geração de fãs, mostrando como o conceito tecnológico moldou o cinema e o entretenimento como os conhecemos. O carro também ornava com referências a filmes clássicos como RoboCop, Blade Runner, De Volta para o Futuro e Metrópolis,

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

Robô sambista

Na história contada pelo enredo, um robô sambista, o ROXP4, surge como grande amigo de uma criança, mas acaba sendo trocado por novas invenções. E ele apareceu na comissão de frente ao lado de Charles Chaplin, com um integrante fantasiado usando capacete e tela dotada de olhos que piscavam para o público.

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

Evolução hightech

Algo inédito no Carnaval: a escola colocou chips de radiofrequência em carros e fantasias, para monitorar a evolução do desfile e garantir que ninguém corresse risco de estourar o tempo da apresentação. Oito antenas foram montadas na avenida para o acompanhamento em tempo real.

Simon Plestenjak/UOL
Imagem: Simon Plestenjak/UOL

Problema com rainha

Tecnologia nem sempre é sinônimo de perfeição. A rainha de bateria Ana Beatriz Godói, por exemplo, teve problema em uma das asas luminosas de sua fantasia, que caiu no início do desfile, e ela não conseguiu recolocá-la. Por causa disso, acabou tendo de retirar a segunda asa, comprometendo a fantasia, o que pode fazer a escola perder pontos valiosos.

Reprodução/TV Globo
Imagem: Reprodução/TV Globo

Tempos Modernos

Compositores Rapha SP, Aquiles da Vila, Vaguinho, Fabiano Sorriso, Rafa Crepaldi, Salgado Luz, JC Castilho, Guiga Oliveira, Leandro Flecha e Marcus Boldrini

Intérprete Royce do Cavaco

Eu sei que o tempo voa, e vai voar
Eterna como a rosa, assim será
A nossa relação, não importa a geração
Renascerá

Sou eu, coração de aço
A cada passo, pronto pra sonhar
Meu mundo desfaço
Feito criança, vou sorrir ou chorar
Saudade do abraço amigo
Não consigo entender

Quem sabe, nas folhas do livro
Encontro o motivo, a luz do saber

O que será, será
Quero viver, pra ver
Como vai ser o meu destino
Se o meu futuro não é o mesmo de um menino

Das mais belas mãos
Revoluções a nos guiar
A inovação vem dessas mentes
O que esperar?

Dona ciência, por favor, não leve a mal
Chegou a hora de rasgar o manual
Quero ver minha roseira passar
É tempo de amar, é tempo de amar
Aprender, ensinar
Conectar as emoções, unir os corações