Entretenimento

Exercícios para pessoas com artrose, é possível? Como realizar?

Exercícios para pessoas com artrose, é possível? Como realizar?

A artrose é um problema extremamente comum e que pode, em grande parte, ser minimizado. Veja neste artigo, como os exercícios podem ser feitos e a metodologia que pode ser usada.

De forma geral, dores musculares e articulares estão no topo das reclamações mais comuns das pessoas.

Neste quadro, a artrose é um problema comum, crônico e que caso não seja tratado da forma mais adequada, acabará trazendo problemas muito maiores.

O tratamento deve, de forma geral, passar pela prática adequada de exercícios físicos. Em especial, os resistidos.

Mas antes de falar dos exercícios propriamente ditos, vamos focar em entender como esta patologia se desenvolve.

Primeiramente, entenda o que é artrose

A artrose também é conhecida como osteoartrite. De forma geral, ela é um desgaste que faz com que haja um atrito intenso entre ossos.

Pense da seguinte forma: os ossos se ligam, uns aos outros, através de músculos, tendões e principalmente, cartilagens.

São estas cartilagens, que acabam sendo danificadas, fazendo com que os ossos atritem entre si.

No caso da artrose, ela ainda pode atacar membranas e outras estruturas.

Mas de forma geral, a artrose pode ser definida como uma patologia que “destrói” partes fundamentais das articulações, fazendo com que haja muito atrito, dor e inflamações no local.

Ela pode ocorrer em diferentes níveis de intensidade, como esta imagem mostra:

As causas da artrose podem ser multifatoriais. Mas no geral, o que temos é o seguinte: ou um uso excessivo e patológico da articulação, ou então, um processo de envelhecimento. Em ambos os casos, o problema pode ser evitado e mesmo depois que ele surge, pode ser tratado.

Quem já tem artrose, pode fazer exercícios?

Pode, mas não de qualquer forma. Na verdade, é fundamental, desde que feito com os devidos cuidados.

Primeiramente, exercícios de impacto, na grande maioria dos casos, devem ser evitados. A tendência é que eles piorem cada vez mais o problema, já que há um contato direto entre as estruturas ósseas.

Desta maneira, os exercícios precisam ser adaptados e orientados para a minimização da doença e melhora do quadro geral.

Neste caso, práticas como musculação e Pilates, são as mais indicadas para quem possui um quadro de artrose.

Primeiramente, porque estas práticas vão tornar as articulações mais estáveis.

Com mais estabilidade, elas acabam diminuindo o atrito ósseo e consequentemente, teremos uma melhora do quadro geral.

Além do mais, em muitos casos, a artrose é resultado de desvios musculares e posturais, que acabam fazendo com que as estruturas fiquem mais sobrecarregadas.

Com a musculação e o Pilates, é possível corrigir estes quadros e melhorar o equilíbrio.

Para finalizar os benefícios, com os movimentos destas modalidades, é possível aumentar a irrigação sanguínea local e consequentemente, tornar a articulação mais funcional e com menos pontos de dor.

Naturalmente que isso só é possível com um treino específico e direcionado para esta finalidade.

Como deve ser o treino para quem tem artrose?

Primeiramente, é fundamental que haja uma avaliação funcional completa. De preferência, feita por um fisioterapeuta. Isso fará com que um quadro completo seja traçado.

Nesta avaliação, muito mais do que apenas apontar onde está e quais os movimentos que a artrose limita, é importante entender as causas dela.

Desta maneira, será possível traçar estratégias para otimizar os exercícios de uma forma inteligente.

Quando se tem estes dados, o treino deve seguir alguns parâmetros:

1- Respeita as limitações de movimento, mas progrida

De forma geral, muitas vezes a artrose causa limitações de movimento. Estas limitações são resultado de um processo de dor e desconforto. Neste caso, é muito importante respeitar esta limitação.

Porém, com o passar do tempo e a adaptação ao treino, é fundamental buscar aumentar a amplitude dos movimentos, conforme o conforto vai aumentando.

2- Força é fundamental

Quem tem artrose precisa, invariavelmente, de mais força. Principalmente nos músculos que se inserem na articulação afetada.

Para isso, é importante respeitar os mecanismos que a patologia produz, mas conforme o treinamento vai progredindo, trabalhar com melhora da força.

3- Sem mobilidade, com dor

É muito importante também melhorar a mobilidade articular. Desta maneira, teremos um alinhamento articular melhor e consequentemente, uma melhora nos quadros de dor.

Por isso é muito importante que haja um trabalho bem direcionado. O mais importante aqui é um trabalho progressivo e muito específico para esta finalidade.

4- Continuidade é a chave

Quem tem artrose precisa manter uma rotina de exercícios constante. Bem feitos, direcionados para suas necessidades e respeitando sua patologia. Mas precisa de constância. Caso contrário, a dor volta e a patologia só piora.

Pessoas que possuem artrose, já tem um quadro de degeneração, por isso, precisam de cuidados muito bem orientados.

Por isso, procure bons profissionais para te ajudar e tenha sempre a consciência que precisa de um tratamento adequado.

Bons treinos!