Entretenimento

Criptococose: conheça a doença do pombo, sintomas e prevenção: VEJA VÍDEO

Criptococose: conheça a doença do pombo, sintomas e prevenção: VEJA VÍDEO

A morte de dois homens no interior de São Paulo por causa de doenças causadas por pombos reacendeu o alerta sobre esses animais, aparentemente, inofensivos. As aves podem ser encontradas com mais facilidade em áreas de praias, praças e perto de hospitais.

Aparentemente inofensivas, as aves trazem o perigo de doenças que podem levar à morte. No fim do mês passado, duas pessoas morreram no litoral paulista, após terem complicações com a criptococose, também conhecida como doença do pombo.

A doença é uma infecção pulmonar provocada pela inalação de um fungo, que pode ser encontrado nas fezes desses animais.

Sintomas

Entre os principais sintomas estão:

  • alteração na vista
  • febre
  • fraqueza
  • náuseas
  • vômitos

Outras doenças

O que muita gente não sabe é que outras quatro doenças também podem ser transmitidas por pombos. A doença do pombo pode evoluir até para uma meningite.

Proliferação

Segundo o biólogo Jonathas Lins, o controle das doenças depende do controle da multiplicação exagerada das aves. A orientação para evitar a reprodução é não alimentá-las.

Para conter a grande quantidade de pombos, uma alternativa é contratar empresas que oferecem o serviço de controle de vetores e pragas. Elas usam gaviões treinados como para capturar e entregar os pombos aos adestradores.

História

Os pombos vivem no Brasil desde o século 19, quando foram trazidos da África para serem criados como animais de estimação. Entretanto, não demorou a se procriarem de forma desenfreada nos locais públicos. Segundo os especialistas, o tempo de vida deles pode variar de três a cinco anos.

Secretaria de Saúde

A Secretaria de Saúde do recife informou que a criptococose é rara na rede pública. Disse ainda que faz o controle populacional dos pombos, com colocação de telas nas caixas de ar condicionado e fechamento de espaços entre o telhado e o forro dos imóveis.

Fonte: TV Jornal

Créditos: TV Jornal