Entretenimento

Bolsonaro dá indireta a Huck sobre jatinho: 'vou mostrar o que você fez'

Bolsonaro dá indireta a Huck sobre jatinho: 'vou mostrar o que você fez'

Durante transmissão ao vivo em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez um comentário citando indiretamente o apresentador da TV Globo, Luciano Huck.

Mencionando a suposta ‘caixa-preta’ do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o presidente disse que vai “mostrar tudo que ele [Huck] fez”, referindo-se à compra de um jatinho particular da Embraer por parte de Huck, a qual contou com um financiamento do BNDES.

“Segunda-feira já tem a primeira parte da caixa-preta do BNDES, pessoal que comprou jatinho, pessoal que comprou jatinho. Só dois bilhões de reais. Todo o pessoal com jatinho, gente amiga do rei. Gente que tá dizendo por aí que, por exemplo, estamos no último capítulo do fracasso do Brasil. ‘Eu sou opção para 2022’. Pode até ser, mas a gente vai mostrar o que você fez.”, disse Bolsonaro.

Ontem, o apresentador, ao lado do ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung, afirmou que Bolsonaro não é o “primeiro capítulo da renovação, mas o último capítulo do que não deu certo.” A declaração foi proferida no Centro de Convenções de Vila Velha (ES), conforme reportado pelo Estadão.

“Juros de 3%. Tá bom ou não? Você quer emprestar pra mim, Pedro? Eu te mando embora, heim, Pedro? Quer emprestar a 3% para comprar jatinho, Pedro? Isso é irresponsabilidade. A gente vai mostrar. Imagine, você usou de seu nome, de sua fama no passado para comprar isso”, disse Bolsonaro ao presidente da Caixa, Pedro Guimarães, que o acompanhava no vídeo.

Em fevereiro do ano passado, o blog Tijolaço mostrou que a Brisair Serviços Técnicos e Aeronáuticos Ltda., da qual Luciano e a também apresentadora da TV Globo Angélica são sócios, fez um financiamento junto ao programa BNDES Finame para comprar um jato de R$ 17,7 milhões. Os juros para o empréstimo foram estabelecidos em 3%, com 114 meses de amortização para o pagamento. Em nota divulgada à época, o banco confirmou o financiamento e afirmou que o procedimento seguiu todas as regras legais.

“Eles vão alegar que não é ilegal. Não é ilegal, foram lá, teve contrato, tá pagando 3% de juros. Mas a gente vai mostrar que pra você pobre e miserável, ou você até bem de vida, bom empresário, mas quando não era amigo do rei ou da rainha na época, não tinha como comprar isso daí”, afirmou o presidente.

Ataque à fiscalização

Na live de hoje, Bolsonaro elogiou a aprovação da Medida Provisória da Liberdade Econômica que, entre outras questões, alterou regras trabalhistas. A MP é tida pelo governo como um passo para a “desburocratização” da economia do país. Ao mencionar o apoio do Congresso à norma, o presidente criticou as regras de fiscalização do trabalho e voltou a afirmar que “é difícil ser patrão no Brasil”.

“Por exemplo, chega um fiscal aqui na tua loja. E ele vai no banheiro que os funcionários frequentam. Sabe quantos itens o fiscal vai observar? 35 itens. Posição do espelho, altura, vaso sanitário, caixa d’água, quantidade de água, papel higiênico. 35 itens. Tá na cara que via ser multado” disse. “Suponha que tenha funcionário que durma no serviço. Chega no vestiário, são 15 itens a serem analisados. Vai ser multado também”, completou.

Fazendo referência à fiscalização dos alojamentos de funcionários, Bolsonaro disse que são “27 itens para o fiscal poder tomar conhecimento e créu, multar você”. “Tem gente que, inclusive, depois de abrir um negócio, tem que fugir porque vai ser preso”, afirmou.

Fonte: UOL

Créditos: UOL