Educação

Precisamos sair da crise sem sair da Constituição, diz ministro Fachin

Precisamos sair da crise sem sair da Constituição, diz ministro Fachin

Em uma live do IEJA (Instituto de Estudos Jurídicos Aplicados) sobre o impacto da covid-19 na educação no país, transmitido pelo R7 nesta sexta-feira (15), o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou que o país "precisa sair da crise sem sair da Constituição".

"A educação é um dos principais caminhos para sairmos da crise econômica ou sanitária, mas o mais importante é que isso seja feito sem sair da Constituição e sem sair do estado democrático de direito", afirmou Fachin.

O ministro do STF destacou ainda que é importante neste cenário valorizar a educação como caminho para enfrentar a atual crise que passamos devido à pandemia da covid-19, e que este também é um momento importante de "respeito ao conhecimento científico".

Fachin afirmou ainda que mesmo a educação e o ato de educar também têm desafios que exigem "saber e ousadia" para desenvolver um projeto educacional que "dê orgulho ao país e à sociedade".

O ministro lembrou que dentre estes desafios está o de educadores e de toda a sociedade trabalhar para "diminuir as desigualdades sociais e contribuir para o acesso à educação no seu sentido mais amplo" e lembrou que o país tem uma dívida enorme com o setor.

A transmissão mediada por Fabiane Oliveira, presidente do IEJA e ex-secretária geral do STF, também contou com a participação de Elizabeth Guedes, presidente da Anup (Associação Nacional das Universidades Particulares), que trabalha em prol da educação no Brasil, intermediando a relação entre o poder público e as instituições de ensino superior.

Elizabeth, inclusive, concordou com as palavras do ministro do Supremo e frisou que o momento é importante para que a política educacional do país seja principalmente uma política de Estado e não de governo e que a "educação tem que estar na frente ensinando essa nova sociedade" que deve surgir no pós pandemia da covid-19.