Educação

Down: Priscila  superou desafios e conquistou diploma universitário

Down: Priscila  superou desafios e conquistou diploma universitário

Priscila Chwal Uranga tem 28 anos e é a primeira estudante com Down do Rio Grande do Sul a conquistar um diploma universitário. A jovem se formou em fotografia e diz que seu maior sonho é fazer uma exposição com suas fotos. Priscila é um exemplo de inclusão neste Dia Internacional da Síndrome de Down.

Tímida, ela costuma dizer que não olha para trás. "Eu sonho com o meu futuro, planejo arrumar um emprego e montar a minha exposição", conta. A jovem ama viajar e fotografar paisagens, em especial o pôr do sol.

Como boa parte das pessoas com Síndrome de Down, Priscila enfrentou muitos desafios até conquistar seu diploma. Com a apoio da mãe, Amelia Chwal, a luta para conseguir estudar começou no Jardim de Infância.

"As escolas não costumam negar a matrícula de imediato, mas sempre me orientavam a buscar outro tipo de escola, uma especializada", conta Amelia. "Muitas diziam para aguardar um pouco, para ela ter mais maturidade e acabei perdendo tempo."

Apesas das desculpas vazias e da resistência, Amelia conseguiu matricular a filha primeiro em uma escola de educação infantil pequena e depois em um colégio maior. "Minha filha sempre estudou no ensino regular e no ensino fundamental tivemos o apoio de um psicopedagoga."

Para fazer as provas do vestibular, Priscila teve, apenas, um tempo maior para fazer a redação. "Quando ela entrou em design de interiores foi uma vitória!", lembra a mãe.

No curso de design de interiores, Priscila descobriu a paixão pela fotografia. Decidiu mudar de faculdade e conseguiu ser formar. "A Priscila é uma menina batalhadora, que gosta de estudar e está sempre atrás dos livros, sempre lendo." A dedicação rendeu o diploma universitário no Centro Universitário FADERGS.

Priscila faz parte de um grupo pequeno de alunos Down no Ensino Superior. Por não especificar a síndrome, o MEC (Ministério da Educação) não tem um número preciso de estudantes com a Síndrome de Down.

A Sinopse Estatística da Educação Superior 2018, do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) informa que o país tem 2.755 “estudantes com deficiência intelectual” em um universo superior a 8 milhões de alunos, o que representa 0,034% do total.

Um levantamento do Movimento Down, atualizado constantemente, indica que 77 pessoas com Síndrome de Down estão ou passaram em algum curso superior no país. Os dados são organizados por meio de relatos de associações, pais e documentos de jornais. De acordo com esses números, Priscila é a primeira a conquistar o diploma de fotógrafa no Rio Grande do Sul.

Movimento Down
Criado em 2012, o Movimento Down reúne conteúdos e iniciativas que colaboram para o desenvolvimento de potencialidades das pessoas com a síndrome e contribuem para a inserção delas em todos os espaços da sociedade, auxiliando famílias, profissionais e público em geral a combater preconceitos e buscar condições efetivas de inclusão.