Educação

Censura a livros em RO é criticada pela Academia Brasileira de Letras

Censura a livros em RO é criticada pela Academia Brasileira de Letras

A Academia Brasileira de Letras classificou como “gesto deplorável” a decisão do governo de Rondônia em pedir a retirada de livros de bibliotecas das escolas. Entre os textos vetados pela Secretaria da Educação do estado estão obras clássicas da literatura brasileira como Macunaíma, de Mário de Andrade e Os Sertões, de Euclides da Cunha.

Em nota pública de repúdio, divulgada nesta sexta-feira (7), a instituição criticou a ação e diz que, mais uma vez, a literatura e as artes são vítimas de censura. “Trata-se de gesto deplorável, que desrespeita a Constituição de 1988, ignora a autonomia da obra de arte e a liberdade de expressão”.

Por fim, a ABL lamentou que, em pleno século XXI, publicações ainda sejam proibidas pelo poder público. “Esse descenso cultural traduz não apenas um anacronismo primário, mas um sintoma de não pequena gravidade, diante da qual não faltará a ação consciente da cidadania e das autoridades constituídas”, finaliza a nota.

Documento pede retirada de livros

Na quinta-feira (6), a Secretaria de Educação do estado enviou um documento pedindo a retirada de livros de bibliotecadas das escolas por apresentarem "conteúdo inadequado às crianças e adolescentes".

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, em um primeiro momento, o governo de Rondônia negou a existência do documento, depois mandou a rede "abortar" o procedimento e alegou que a pasta não havia assinado o pedido. Por meio de nota, a Secretaria afirmou que houve um erro e vai apurar o "vazamento de informações internas".

No total, 43 livros deveriam ser retirados das prateleiras das bibliotecas, entre eles estão obras como Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis), Os Sertões (Euclides da Cunha) entre outros clássicos.

A Secretaria  informaou ainda que recebeu "uma denúncia que nas bibliotecas das escolas estaduais havia livros paradidáticos com conteúdo inapropriados para o público alvo, alunos do ensino médio e que uma equipe técnica da secretaria analisou as informações e constatou que os livros citados eram clássicos da Literatura Brasileira, muitos deles usados em processos seletivos e vestibulares. Sendo assim, o processo eletrônico que contém a análise técnica foi encerrado imediatamente sem ordem de tramitação para quaisquer órgãos externos, secretarias ou escolas públicas."