Economia

O pânico mundial com um movimento do mercado norte-americano

O pânico mundial com um movimento do mercado norte-americano

Nesta quarta-feira (14), pela primeira vez desde 2005, o rendimento dos papéis de longo prazo do Tesouro americano ficaram abaixo dos de curto prazo – um fenômeno chamado de “inversão da curva de juros” do Tesouro do país (em inglês, yield curve). 

As buscas por “curva de juros invertida” saltaram 692% nas últimas 24 horas no mundo todo e 520% no Brasil. O interesse de busca pelo assunto também é o mais alto desde 2008. 

Entre as principais perguntas sobre o tema, nas últimas 24 horas, estão: “O que é uma curva de juros invertida?”; “Por que a curva de juros se inverte?”; “O que causa a inversão da curva de juros?”; “Por que a curva de juros invertida é associada à recessão?”, entre outras.

O fenômeno pesa na avaliação de investidores que acreditam que a economia norte-americana entrará em recessão porque a curva de juros está diretamente relacionada à expectativa de inflação.

Funciona da seguinte maneira: o rendimento de longo prazo tende a ser maior que o curto porque a expectativa é que a economia cresça, e com isso a inflação também avance. Logo, se o título de curto prazo agora está maior é sinal de que o mercado está precificando que a inflação de longo prazo será menor no futuro do que hoje. O temor, portanto, é que a economia dos EUA não continua a crescer no futuro no mesmo ritmo do que o atual.