Economia

O impacto da venda do Arcview Group para a indústria da Cannabis legal

O impacto da venda do Arcview Group para a indústria da Cannabis legal

Nesta terça-feira, 16, o Arcview Group anunciou que estava sendo vendido por 7,7 milhões de dólares para dois grupos de investimento: Cresco Capital Partners e Trivergance Investments. O movimento pode ser visto como apenas mais uma gota num oceano de 7,6 bilhões de dólares já levantados pela indústria da Cannabis legal em 2019, segundo dados da Viridian Capital Advisors, que compila e divulga semanalmente essas transações. Na minha opinião, contudo, o impacto financeiro, relativamente pequeno, não reflete toda a relevância dessa aquisição.

Fundado em 2010, o Arcview se destacou no mercado ao oferecer um modelo de negócios tão simples quanto desejado: conectar potenciais investidores a startups de Cannabis. Seu presidente é ninguém menos que Steve DeAngelo, um dos principais rostos do movimento pela legalização da Cannabis nos Estados Unidos e criador de marcas de sucesso como o Harborside, uma referência entre os dispensários da erva, e o Steep Hill Labs, pioneiro em testes laboratoriais que atestam a qualidade e a segurança dos produtos derivados da planta. Nesses nove anos de existência, o Arcview viabilizou mais de 260 milhões de dólares em investimentos em 212 negócios diferentes, de acordo com a empresa, que realiza eventos ao redor do mundo em busca de capital e de startups promissoras. Hoje há cerca de 600 investidores cadastrados na plataforma.

Sua compra por dois fundos de investimento bem estabelecidos é, portanto, emblemática. Desde 2014 o Cresco já investiu mais de 50 milhões de dólares na indústria da Cannabis, enquanto o Trivergance é um fundo de private equity de mais de 1,5 bilhão de dólares, com participação em várias indústrias. Para mim, o movimento que fazem numa marca icônica como o Arcview é um sinal do que está por vir. A Cannabis ainda é ilegal em nível federal nos Estados Unidos, o que significa que os maiores fundos de Wall Street estão proibidos de negociar com ativos ligados à planta. Isso quer dizer que os preços (valuations) ainda estão baixos e acessíveis.

Em entrevista ao Marijuana Business Daily, o sócio-diretor da Cresco Matt Hawkins afirmou que a expectativa é fazer o negócio crescer de 3 a 5 vezes nos próximos anos. Na mesma reportagem, o CEO do Arcview, Troy Dayton, que por ora continua à frente da empresa, declarou: “Eu sou um bom CEO e fui capaz de nos trazer até aqui. Mas tenho certeza de que não sou a pessoa certa para nos levar a um patamar de 200 milhões de dólares. Para isso precisamos trazer os caras grandes”. Assim, o mercado da Cannabis vem rapidamente deixando de ser um playground de aventureiros para se tornar uma indústria poderosa e capitalizada. Tirem as crianças da sala porque os adultos estão chegando.