Economia

Mendonça de Barros: Com indústria fraca, Copom acerta em afrouxar juros

Mendonça de Barros: Com indústria fraca, Copom acerta em afrouxar juros

Apesar de críticas cada vez mais frequentes de analistas do mercado financeiro, o Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, reduziu nesta quarta-feira, 5, mais uma vez a taxa básica de juros, a Selic, agora em 0,25 ponto percentual para 4,25% ao ano. No entendimento do colegiado que comanda as decisões de política monetária no Brasil, a economia ainda mostra sinais de fragilidade que demandam um afrouxamento ainda maior das condições monetárias. 

Certamente, foi a fraqueza extrema da indústria no último trimestre de 2019 que levou alguns membros mais recalcitrantes com esta decisão a se alinhar à maioria e decidir por mais um corte. As novas previsões do mercado financeiro para a inflação oficial (IPCA) no período 2020/2021, abaixo da meta central da autoridade monetária, também deram segurança para essa nova redução da Selic.

Os analistas mais conservadores, como sempre, vão intensificar as críticas a esta decisão sob o argumento de que os bancos centrais devem ser vistos sempre como entidades que jogam a favor da segurança. Mas, felizmente, temos no Copom de agora um grupo com sólido entendimento de como funciona o sistema de metas de inflação como o que temos hoje no Brasil e decidiu corretamente em afrouxar mais uma vez as condições monetárias da economia. 

  • Relacionadas
  • Mais Lidas
EconomiaEconomiaMercado financeiro reduz para 4,25% a previsão da taxa Selic para 2020
EconomiaEconomiaTST crava: dirigir Uber não é vínculo empregatício
EconomiaEconomia‘Não dependa do INSS, o governo não pagará sua conta’, diz Nathalia Arcuri
EntretenimentoEntretenimento1BBB 20: Público pede expulsão de participante após polêmica em festa
EntretenimentoEntretenimento2Os dois nomes mais cotados pela Globo para substituir Luciano Huck
BrasilBrasil3Namorado de Gugu Liberato entra na briga pela herança
EntretenimentoEntretenimento4Como Manu Gavassi levou Chay Suede para dentro do BBB e expôs a Globo

O Copom, certamente, vai esperar as primeiras informações sobre a intensidade da recuperação da economia nos primeiros meses deste ano para definir se o corte de hoje será o último ou não.

*Economista e engenheiro, Luiz Carlos Mendonça de Barros foi presidente do BNDES e ministro das Comunicações.