Economia

Liberais ameaçam nova debandada no Ministério da Economia

Liberais ameaçam nova debandada no Ministério da Economia

Integrantes da ala mais liberal da equipe econômica ameaçam também pedir demissão nas próximas semanas, a depender de quem o ministro Paulo Guedes escolher como substitutos dos ex-secretários Salim Mattar (Desestatização e Privatização) e Paulo Uebel (Desburocratização, Gestão e Governo Digital).

Nos bastidores, membros da equipe econômica ouvidos pela CNN afirmam que aguardarão as definições de Guedes para decidir seus futuros, mas admitem que a disposição é deixar o cargo, caso os escolhidos sejam representantes da máquina pública, em detrimento de pessoas com experiência no mercado.

“Só tomarei decisão depois de ver os substitutos”, afirmou à CNN um secretário do Ministério da Economia próximo de Salim e Uebel. Segundo esse integrante da equipe econômica, Guedes está ciente da ameaça de nova debandada e, por isso, pretende tomar a decisão sobre os substitutos de forma “bem pensada”.

Como a coluna antecipou ainda na quarta-feira (12), após a debandada de Salim e Uebel, o ministro da Economia pretende fazer uma reestruturação na pasta. Uma das ideias é fundir as atuais secretarias especiais de Desestatização e Privatização e a do Programa de Parcerias de Investimentos, chefiada pela economista Martha Seillier.

Com as mudanças, dois nomes são cotados para assumir a nova secretaria especial: o da própria Martha Seillier e o de Daniella Marques, assessora especial do Ministério da Economia. Daniella é considerada o braço direito de Guedes na pasta e vista pelo ministro como uma espécie de “coringa” na equipe econômica.

Já para a vaga de Uebel há três cotados. Um deles é Wagner Lenhart, atual secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do ministério. O nome dele foi indicado pelo próprio Uebel. Os outros são Gleisson Rubin, secretário-adjunto de Desburocratização, e Caio Paes de Andrade, presidente do Serpro, empresa pública de tecnologia da informação.