Economia

Ford anuncia corte de 7.000 empregos em todo o mundo

Ford anuncia corte de 7.000 empregos em todo o mundo

A Ford informou nesta segunda-feira, 20, que vai cortar cerca de 7.000 empregos em todo o mundo, até o final de agosto, o equivalente a cerca de 10% de sua força de trabalho. A redução faz parte do plano de reestruturação da fabricante de automóveis para economizar 600 milhões de dólares (2,5 bilhões de reais) por ano.

O presidente-executivo da Ford, Jim Hackett, disse, em mensagem aos funcionários, que os cortes incluem saídas voluntárias e demissões. Um porta-voz da empresa acrescentou que cerca de 2.300 das pessoas afetadas estão empregadas nos Estados Unidos.

Dentro dos cortes, Hackett afirmou que a companhia eliminará cerca de 20% dos gerentes de alto escalão em um movimento também para reduzir a burocracia e agilizar a tomada de decisões no grupo.

No Brasil, a Ford anunciou, em fevereiro, o fechamento da planta de São Bernardo do Campo (SP). Na ocasião, a montadora explicou que vai encerrar sua atuação no segmento de caminhões na América do Sul e deixar de comercializar os modelos Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta, produzidos apenas no ABC paulista. O motivo, segundo a companhia, é a “ampla reestruturação de seu negócio global”.

Governos estadual e federal, com a prefeitura de São Bernardo do Campo, negociam a venda da fábrica para outra empresa automotiva, a fim de manter os empregos na região. Um possível comprador pode se beneficiar do programa de incentivo fiscal à indústria anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em março. Serão oferecidas reduções do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em até 25% para montadoras que apresentarem planos de investir pelo menos 1 bilhão de reais e que gerarem no mínimo 400 postos de trabalho. Nos bastidores, a montadora brasileira Caoa aparece como forte concorrente para a compra da planta.

(Com Reuters)

Últimas notícias