Economia

Fiat anuncia nova fábrica de motores em MG com investimento de R$ 500 mi

Fiat anuncia nova fábrica de motores em MG com investimento de R$ 500 mi

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou nesta quarta-feira, 22, a instalação de uma nova fábrica de motores na sua planta de Betim (MG). Segundo a companhia, será o maior polo produtor de motores da América Latina, com capacidade de produção de 1,3 milhão de unidades por ano a partir de 2021.

A Fiat e seus fornecedores investirão 500 milhões de reais para instalar a nova unidade e para dotar os novos propulsores de capacidade flex, operando simultaneamente com etanol e gasolina. Esse aporte amplia para 8,5 bilhões de reais os investimentos programados pela montadora e fornecedores para Betim até 2024 -o que representa o maior investimento da empresa na cidade desde a inauguração da fábrica, em 1976. No Brasil como um todo, incluindo a planta de Pernambuco, entre 2018 e 2024, a Fiat e fornecedores planejam investimento de 16 bilhões de reais –o maior do grupo e seus fornecedores no país em todos os tempos.  

A nova fábrica vai gerar 1.200 empregos e produzirá no início das operações dois motores flex, o GSE 1.0 Turbo (3 cilindros) e o 1.3 Turbo (4 cilindros), que serão utilizados nos carros top de linha das marcas Fiat e Jeep.

Outra novidade anunciada pela companhia é a utilização de inteligência artificial na linha de produção dos motores, onde as máquinas aprenderão com os erros. Por exemplo, em um dia, ocorre uma falta de energia e a linha de produção para. Numa próxima vez em que houver uma instabilidade na corrente elétrica, a máquina já vai enviar um aviso de que a linha de produção corre o risco de parar.

Segundo a companhia, os diferenciais desses motores são a eficiência, menos consumo de combustível, e o “fun to drive”, o que a empresa chama de “uma boa sensação ao dirigir”, medida também na resposta do motor ao acionar o acelerador. Esses dois motores já são fabricados pela Fiat na Polônia e na China. Além desses, está em desenvolvimento o motor E4, de tecnologia turbo voltada apenas à combustão de etanol, que deverá ser produzido na nova unidade.

Os motores fabricados no Brasil também serão exportados, principalmente para os países da Europa. De acordo com o presidente mundial da FCA, Mike Manley, já foram fechados contratos para o embarque de mais de 400 mil motores até 2022. “A FCA sempre acreditou no Brasil e enxerga com grande otimismo o empenho do governo em aprovar as reformas estruturais tão necessárias para a retomada do crescimento econômico e para a melhoria da competitividade”, afirma Manley, que reforçou a importância estratégica da planta de Betim para as operações da companhia na América Latina.

Segundo Antonio Filosa, presidente do grupo para a América Latina, “os resultados apresentados pela companhia na região nos últimos trimestres, o potencial de crescimento do mercado e a versatilidade e qualificação da mão-de-obra brasileira foram fatores fundamentais para trazer o investimento ao Brasil, que disputava com outros países a possibilidade de receber a nova fábrica de motores turbo”.

A companhia também programa 25 lançamentos até 2024, entre novos modelos, atualizações de veículos em linha e séries especiais. Em Betim, está planejada a produção três novos modelos a partir de 2020. Dois deles marcam a entrada da Fiat no segmento de SUVs. “Serão veículos que vão chamar a atenção pelo design, desempenho, tecnologia e nível de conectividade”, afirma Filosa.