Economia

CCJ inverte pauta e analisa Orçamento impositivo antes da Previdência

CCJ inverte pauta e analisa Orçamento impositivo antes da Previdência

Os deputados da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara aprovaram, em votação, a inversão de pauta e vão começar a analisar a proposta que amplia o Orçamento impositivo (PEC 34/19), tirando poder do Executivo sobre o Orçamento, antes da proposta da reforma da Previdência.

Apenas PSDB, Patriota e Novo votaram contra a inversão de pauta. Até mesmo o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, foi favorável à mudança da pauta. A mudança na ordem foi aprovada por 50 votos a 5. 

Assim, a discussão sobre as novas regras da aposentadoria (PEC 6/19) só deve começar depois que o Orçamento impositivo for analisado. Com a inversão, fica ainda mais difícil o plano do governo de votar a reforma ainda nesta semana, antes do feriado da Páscoa. A demora em analisar a reforma da Previdência é vista como uma derrota para o governo.

O ritmo da audiência está bem devagar. A sessão marcada para as 14h, começou com uma hora de atraso, e apenas por volta das 18h o colegiado votou o requerimento para a inversão da pauta.

O centrão se uniu à oposição contra o governo, conseguindo derrotar o PSL na primeira votação da comissão e atrasar o andamento da reforma da Previdência na CCJ. Líder do governo no Congresso, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL) disse que conversou com parlamentares para que a reunião da CCJ possa invadir a madrugada, diante do que ela chamou de “kit obstrução” de partidos que impede o debate da reforma da Previdência. “Por mim, vou até seis da manhã na CCJ”, disse Joice.