Economia

Allianz compra parte da operação da SulAmérica por R$ 3 bilhões

Allianz compra parte da operação da SulAmérica por R$ 3 bilhões

Em comunicado ao mercado na manhã desta sexta-feira, 23, a seguradora SulAmérica informou que vendeu por 3 bilhões de reais sua operação no setor de automóveis e ramos elementares (cobertura para roubos, imóveis, incêndio) para a concorrente Allianz Seguros.

Segundo a SulAmérica, a venda insere-se no posicionamento estratégico de concentração dos esforços nos segmentos de saúde, odontologia, vida e previdência, que representaram 85% de seu faturamento no primeiro semestre de 2019.

A conclusão da venda está condicionada a aprovação prévia dos órgãos reguladores e anticoncorrenciais competentes, como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o que pode levar cerca de doze meses.

A companhia também informou que “até a conclusão da transação, as partes continuarão a conduzir seus negócios de forma independente uma da outra. Portanto, clientes, corretores, assessorias, fornecedores, colaboradores e demais partes interessadas não devem esperar quaisquer alterações na administração, relações comerciais, fornecimento e oferta de produtos”, comunicou, em nota.

O comunicado também cita que a venda “tem como base um patrimônio líquido de 700 milhões de reais na recém-formada companhia a ser estruturada especificamente para o propósito da transação, sujeito a mecanismos de ajustes de preço comuns em transações similares”.

Segundo a SulAmérica, um dos compromissos assumidos no contrato de venda foi a criação de uma nova seguradora. A união desta nova companhia com a Allianz, atualmente a terceira maior seguradora do mundo, resultará na segunda maior seguradora de automóveis no Brasil. Em ranking de 2018 do Sindicato dos Corretores de Seguro, divulgado anualmente, a SulAmérica aparece na segunda colocação, com 12,7% de participação do setor no país. A Allianz é a 10ª, com 2,35%.

Dados da Confederação Nacional das Empresas de Seguros mostram que o setor de ramos elementares, envolvido nas negociações, arrecadou 74,8 bilhões de reais em 2018 no Brasil, crescimento de 5,6% em relação ao ano anterior. Já o ramo de saúde suplementar, principal no setor de seguros no país, teve arrecadação de 199,5 bilhões de reais, alta de 9,8% ante 2017.